segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Natal (sem) Luz

Todos os anos, na cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul, acontece o Natal Luz. A cidade inteira se transforma num espetáculo natalino de luz e cor e decorações de encher os olhos.

Natal Luz em Gramado
Já na minha casa, após um temporal de dez minutos na madrugada de sexta para sábado:

"Eu ganhei uma coisa peluda!"
"Esse é o gato, filha!"
Dez minutos de fúria divina, vinte e quatro horas sem luz. A companhia elétrica estava respondendo a QUATROCENTOS chamados na cidade. Sabem o que é isso? Falta de planejamento. Ao menos foi esse o problema na minha rua. No começo do mês alguma empresa terceirizada passou uma tarde podando as àrvores de uma metade da quadra da universidade (que fica em frente à minha casa). Os galhos ficaram duas semanas largados na calçada até que (depois de muita reclamação) foram recolhidos às 3h da manhã de segunda ou terça da semana passada. As árvores restantes não foram podadas. Foi um galho de uma destas árvores que caiu na fiação e deixou um monte de gente sem luz, e fez com que boa parte dos quatrocentos quilos de comida que cada um compra pro Natal estragasse.

Vai ver isso tudo foi só pra lembrar as pessoas de que o Natal não existe por causa de um senhor de barba branca e roupa vermelha viciado em Coca-Cola.

"Papai Noel é o caralho! Meu nome é Nicolau!"
Às 23h30 de sábado a CEEE chegou para finalmente fazer o conserto, podou as árvores que faltavam, e cortou junto um cabo telefônico! Nada como profissionais bem treinados! Bom, eles também não podiam ser os únicos* recebendo reclamações no Natal, não é mesmo?

* A correção ortográfica do Blogger sempre me propondo questões filosóficas: a palavra "único" deveria ter plural? Segundo eles, não.

E parabéns ao mano G-Zus pelo seu suposto aniversário.


Um comentário:

  1. Que merda, hein? Na casa do meu amigo, onde a gente passou parte do Natal, também faltou luz. Mas quando a gente chegou lá já tinha voltado. Lá perto de casa tem um poste até agora quebrado por causa do temporal.

    Acredito que essa foi a maneira de Deus de nos dizer que ele nos odeia.

    ResponderExcluir